Celular/Whatsapp
Integridade de Coração

“Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; e este era homem sincero, reto e temente a Deus; e desviava-se do mal. Jó 1.1”.

Quando lemos sobre a trajetória de vida de Jó podemos ver com toda a certeza um homem de integridade de coração e temente a Deus.

As calúnias e as adversidades que sofreu diante de seus acusadores levaram-no a dizer com todas as palavras que o Senhor era o seu Redentor e que por fim viria em seu auxílio.

Reflexão:

  • Como será que reagiríamos na mesma situação de Jó?
  • Diante de situações de calúnias, como tem sido nossa reação?
  • Será que estamos do lado dos acusadores? Ou até mesmo fazendo parte das “rodas” de amizades dos mesmos?
  • Será que nossa atitude condiz com a espiritualidade de Jó? Um homem de integridade e sinceridade de coração e temente a Deus?
  • Ou simplesmente vivemos e praticamos as mesmas injustiças de seus acusadores? Fazendo parte do mesmo círculo de amigos?

São perguntas difíceis, mas, não nos impedem de refletir e buscar meios de resolvê-las, assim como fez Jó, que em tudo buscou a aprovação de Deus.

Portanto que a graça renovadora do Senhor venha nos inculcar sempre, renovando-nos espiritualmente, fisicamente e materialmente para que sejamos solidários para com nosso próximo.

Com Jó aprendemos a:

  1. buscar uma vida de retidão
  2. agir sempre com sinceridade
  3. procurar sempre a vontade de Deus

Pois, Deus está sempre do lado da justiça e que por fim julgará todas as atitudes e intenções do coração perverso. Que o Senhor nos ache praticando o amor sem medidas, o amor que não faz perguntas e sim realiza.

Logo, seremos achados justos assim como foi Jó, que o Senhor mesmo disse: justo, reto e temente a Deus, desviando-se sempre do mal.

Portanto que nossas amizades não nos impeçam de sermos chamados de filhos de Deus, que nossas atitudes sejam nossa marca de regenerados em Cristo.

Por isso, nossas intenções sejam de amor e solidariedade com a humanidade que sofre as injustiças dos homens e mulheres perversos que estão em todos os segmentos sociais, políticos, eclesiais e educacionais governando e ensinando o povo como viver.

Concluímos que devemos sempre lembrar-nos de Jó e de toda a sua trajetória de sofrimentos, porém, jamais esquecer de que em tudo ele foi fiel e temente a Deus e que esperava o julgamento dos seus acusadores, pois ele tinha plena certeza que o seu Redentor era vivo, hoje e eternamente.

Que possamos viver hoje, esperando no alvorecer a libertação de Deus para todo o mal, porém vivamos com coração íntegro, fiel e temente a Deus, que essa seja nossa maneira de viver e caminhar nesta terra.

Compartilhe com quem você gosta!

Adicionar Comentário