Oração e Gratidão

“Graças dou ao meu Deus, lembrando-me sempre de ti nas minhas orações;” (Filemom 1:4).

Ao lermos a Carta de Paulo a Filemom podemos perceber que a mesma é uma reflexão da importância de como tratamos as outras pessoas. Paulo queria que Filemom estendesse a graça que recebera também a Onésimo.

É dever de todo cristão convertido ser responsável em demonstrar a graça de Deus, ser misericordioso com os outros.

Portanto, ao orarmos agradecendo a Deus pelas suas incontáveis bênçãos, que possamos demonstrar gratidão pelo que recebemos.

E ao mesmo tempo colocarmos na presença Deus nosso próximo, nosso irmão, nosso familiar, nosso país, nossa comunidade, nossa igreja, enfim, entregamos a Deus nossa petição e oferecemos a Ele a nossa gratidão pelo milagre da vida.

Orar é demonstrar gratidão:

Que em tudo possamos dar graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco. (1 Ts 5:18).

Louvando sempre pois, o Senhor, é bom, porque a sua benignidade dura para sempre. (Sl 107:1).

E direis naquele dia: Dai graças ao Senhor, invocai o seu nome, fazei notório os seus feitos entre os povos, contai quão excelso é o seu nome. (Is 12:4).

Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai. (Mt 10:8).

São vários os textos que nos ensinam a orar e demonstrar gratidão por tudo que recebemos.

Que possamos ser abençoados por Deus ao lembrarmos sempre da sua infinita graça para conosco. E lembrar sempre em nossas orações de intercedermos uns pelos outros.

Compartilhe com quem você gosta!

Adicionar Comentário